Miradouros para apreciar a província de Cáceres dos pontos mais altos

A província de Cáceres é coroada nas alturas com miradouros que permitem apreciar a paisagem durante dia e, durante a noite, aproximar-se ao céu estrelado. Avistar montados, rios e perfis montanhosos em contraste com o céu. Também povoações, barragens e antigos caminhos. Todos eles em espaços abertos para ver ao longe, enquanto respiramos o ar mais puro.

Verdes em todas as tonalidades, entre a água e o céu

Cerro Gimio, Monfragüe

O rio Tejo recebe as águas de rios e gargantas na sua passagem pela Estremadura. No Parque Nacional de Monfragüe descansa. Existem vários miradouros e o do Salto del Gitano é um dos mais populares, localizado na estrada. O do Cerro Gimio, num percurso de 8 quilómetros, também é espetacular e no alto do castelo, onde pode ser visto um belo pôr-do-sol sobre a montanha e o rio.

Os miradouros sobre o rio Tejo fazem com que a imaginação navegue entre monstros e sereias. Outras vistas fazem sentir a pequenez do ser humano, como nos miradouros do Pico de la Villuerca ou o do castelo, em Cabañas del Castillo. A formação apalache cortada contra o céu e que se prolonga na imensidade. Ao Pico de la Villuerca chega-se por uma estrada recém inaugurada e ali pode ser avistado o geoparque, grande parte da província e em dias claros muito mais além.

Miradouro Pico de la Villuerca. Fotografia: Ainhoa Miguel

Do miradouro do Risco de Sierra de Fuentes, a vista perde-se em largas planícies. No norte, subir à Peña Negra de Piornal, às vezes coberta de neve, é sentir-se no mais alto. A mesma sensação que produz a Serra de Dios Padre, na Serra de Gata, e avistar ali dezenas de localidades, tentar reconhecê-las e nomeá-las. Lugares da Serra de Gata, de Las Hurdes, das terras de Granadilla ou a barragem de Gabriel e Galán. Às vezes o céu claro premia com uma vista que chega a Candelario, nas terras de Salamanca. Deleite-se ainda no miradouro de Chorro los Ángeles e veja como a água escorre montanha abaixo.

Miradouro Cuacos de Yuste. Foto: Andy Solé – PLANVE

Das montanhas da província de Cáceres

O Meandro Melero, faz revirar o coração como o rio, até tirar o fôlego, apertando-se para construir uma ilha, no miradouro de La Antigua, em Las Hurdes. O acesso ao miradouro é fácil a partir de Riomalo de Abajo e, das alturas, poderá apreciar as águas do Alagón e sobre elas as atividades de turismo ativo.

Maravilhas da natureza, debruçar-se no miradouro de Valle em Tornavacas e ver crescer o Vale do Jerte. Ver as localidades, os carvalhos, os castanheiros e as cerejeiras que dão fama mundial. Um vale que muda de cores com as estações e pode ser branco na floração, colher os ocres no outono ou ser um mar verde de peixes encarnados durante e época das cerejas.

Miradouro Belvís de Monroy. Foto: Andy Solé

Existem miradouros onde o espaço envolvente é um regalo. Debruçar-se no castelo de Montánchez e admirar o percurso da Via da Prata, permite remontar a séculos atrás e imaginar exércitos, cruzados e comerciante aos pés da montanha. Percorrer o castelo e descobrir o cemitério que abriga, para que os habitantes da vila tenham, eternamente, a melhor vista.

Ainda no miradouro de Monjas de Alcántara, pode percorrer a mítica ponte com o olhar e atravessar séculos e fronteiras. Na Estremadura, Roma deixou uma pegada que ainda hoje estamos a descobrir, como em Piedras Labradas em Jarilla, no Valle del Ambroz, agora com um acesso mais fácil para o caminhante.

Onde antes as lutas eram travadas, agora apreciamos a paisagem. No castelo de Monfragüe, no de Cabañas del Castillo ou no miradouro do castelo de Belvís de Monroy.

Também podemos mergulhar o olhar nas águas calmas que despovoaram Granadilla, a partir do seu castelo, ou debruçar-nos sobre o espelho em que assenta Talavera la Vieja, dos mármores de Augustóbriga. Enxergar como aqueles que já não povoam Villa del Arco, outro lugar quase desabitado.

Da história mais recente, o miradouro da ponte de ferro em Hervás, fala de uns caminhos de ferro que serpentearam entre montanhas e que deixaram uma via verde para o caminhante. Também o miradouro da Memória, em El Torno, que nos remete a figuras nostálgicas.

Hervás

Miradouro da Puente de Hierro, Hervás

Vista monumental

O novo miradouro de Yuste permite ver o refúgio final do imperador D. Carlos V, o mosteiro de Yuste em La Vera, e desenhar os seus claustros, os seus pátios e envolvente. Na mesma região, a poucos quilómetros, outro monumento fala-nos de lendas. No miradouro de Serrana, onde uma mulher observa altiva a vila que acabou com ela, mas que a fez eterna nas suas cantigas, Garganta la Olla.

Há quem colecione ímanes para o frigorífico ou cartões postais de terras distantes, há também quem colecione momentos. Na província de Cáceres pode adquirir muitos, inesquecíveis na sua retina, na sua câmara ou na sua memória, porque mais importante do que a bagagem da ida é a bagagem da volta.

A Serrana de la Vera em Garganta la Olla

Turismo Cáceres

Fotografia superior: Miradouro de La Antigua, em direção ao Meandro Melero, em Las Hurdes

Miradores para disfrutar la provincia de Cáceres desde lo más alto

Autor original: Marian Castillo

Traduzido por Diego Bernal

Fotografia: Andy Solé

© Planveando Comunicaciones SL

Publicado em agosto de 2020

 

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.