Arroyomolinos, o parque temático dos moinhos de água

Arroyomolinos é um parque temático de moinhos de água na província de Cáceres. Porque não há um, nem dois, nem três, há quase 40 numa rota de doze quilómetros que não poderia ser chamada de outra forma que não fosse a Rota dos Moinhos.

Percorrê-la dá uma ideia da intensa atividade industrial que este lugar deve ter tido até à chegada da eletricidade, hoje um refúgio para caminhantes curiosos na procura de tantos moinhos juntos. Um caso invulgar porque dos 40 registados, mais de vinte são perfeitamente visíveis, como salienta a guia que melhor os conhece, Sara Fragoso. Uma grande surpresa no centro da Estremadura porque os Llanos de Cáceres não revelam a abundante vegetação que também acompanha esta rota através da Serra de Montánchez.

O parque temático dos moinhos de água na província de Cáceres

Os caminhantes cumprem o ritual de tirar fotos moinho a moinho.

A Rota dos Moinhos ziguezagueia através da Serra de Montánchez

Sendo uma serra, tem declives, com um desnível positivo de altitude de 370 metros, de acordo com o Fexme, mas de fácil percurso, pois o caminho faz ziguezague.

Além disso, está sinalizada desde o início, embora seja verdade que nalguns troços invadidos pela vegetação rasteira dificilmente poderemos ver as balizas brancas e amarelas. Neste caso basta ser guiado pelas pedras de calçada que os moleiros nos deixaram e pelo som do riacho, que não pode ser visto até ao topo do desfiladeiro, mas que pode ser ouvido, juntando mais um atrativo ao caminho. Como o facto de ser ideal para a família e mostrar às novas gerações como os antigos moleiros moíam a farinha ao ponto de esta ser uma indústria chave nas aldeias até ao início do século XIX.

A Surpresa de Arroyomolinos que une Espanha e Portugal

O percurso começa no topo de Arroyomolinos, na rua Altozanos, onde um painel regista o acontecimento histórico que a aldeia viveu em 1811, a vitória dos aliados sobre o exército de Napoleão na Guerra da Independência. Em outubro é comemorado com um festival de recriação histórica chamado Surpresa de Arroyomolinos que mais uma vez reúne espanhóis, portugueses e ingleses.

Uma rota de valor etnológico e ambiental no parque temático natural

Os primeiros moinhos aparecem imediatamente, passando por um parque de merendas de pedra e a curiosa Piedra Hincada, que está sinalizada à direita em terreno privado.  A primeira grande acéquia que pode ser vista, com o seu cubo e poça, foi transformada numa atalaia de Arroyomolinos onde os caminhantes realizam o ritual de tirar fotografias.

Caminhantes contemplam a fila de moinhos na serra durante a Rota dos Moinhos de Arroyomolinos.

A partir deste ponto, os moinhos continuam a aparecer e não muito mais acima é possível ver vários alinhados ao longo da serra. Um deles preserva a sala de moagem como um abrigo com três mós na porta. Alguns deles podem ser visitados com marcação na câmara municipal.

A maioria dos moinhos são do século XIX, embora existam também alguns de origem árabe, como o demonstra o facto de alguns dos cubos terem uma forma arredondada e de terem sido encontrados alquerques esculpidos nos seus muros. É o chamado jogo dos moinhos, o antecedente árabe das damas, no qual os moleiros se entretinham enquanto a água chegava.

Moinhos de Arroyomolinos Património Unesco e modelo sustentável de água

A estrutura dos moinhos é sempre a mesma, com torres de poços que se parecem mais com as de uma muralha. Com três ou quatro metros de altura, recebiam a água do topo. A Charca de la Suelta foi chamada assim porque os moleiros, numa exibição de utilização sustentável da água, apresentado como modelo para a Expo de Saragoça em 2008, concordavam em moer ao mesmo tempo ao grito de “agua va” (a água vai). A pressão da água movia as mós que desfaziam o grão.

Em Arroyomolinos vive o último moleiro, o senhor Juan Pérez, 90 anos de idade, testemunha de uma atividade que permitiu manter os caminhos de pedra únicos que hoje facilitam o percurso. Embora, por vezes, tenhamos de abrir caminho através de arbustos, matagais e silvados.

As pedras da calçada e o som da água servem de guia quando a vegetação rasteira devora o caminho da Rota dos Moinhos .

É um dos tesouros da região de Montánchez-Tamuja. Mas não só como Bem de Interesse Cultural, na categoria de Interesse Etnológico, mas porque se encontra na lista exclusiva de Património Cultural Imaterial da Unesco, porque os seus muros foram construídos com a técnica da pedra seca.

Destaca-se ainda a vista do Melhor Cemitério de Espanha 2012, logo depois de atravessar um surpreendente castanhal no troço final, que convida a fazer uma paragem no caminho para visitar as campas e provar o famoso presunto de Montánchez num espaço muito turístico.

Arroyomolinos, el parque temático de los molinos de agua

Autor original: Merche R. Rey

Traduzido por Ángelo Merayo

PlanVE la guía de ocio de Extremadura / Das maravilhas que oferece a Extremadura

Publicado em maio de 2021

@Planveando Comunicaciones SL

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

También te puede interesar

Miradouros e trilhos da província de Badajoz com vista para as estrelas

Existem coisas que podem ser estelares por causa das estrelas ou por…

Mês da Reserva da Biosfera de Monfragüe e o do Tejo-Tajo Internacional

O Mês da

Congresso Internacional Turismo do Interior em Plasencia

O Palácio de Congressos de Plasencia acolhe, de 25 a 27 de…

Pratique astroturismo todo o ano na Estremadura

O céu da Estremadura é perfeito para a observação astronómica pela sua…