O castanheiro de Postuero domina o Geoparque de Cáceres

Não é uma gralha, é o Castanheiro do Postuero, por muito que se preste a poses e posturas. Especialmente no outono, quando o castanhal de Calabazas brilha com a sua própria luz no coração do Geoparque Mundial da UNESCO Villuercas-Ibores-Jara e todo o caminhante fica fascinado perante os 17 metros de altura, quase nove metros no perímetro do tronco e uma coroa de 22 metros de diâmetro para o fotografar ou deixar-se fotografar.

Castanheiro de Postuero, o rei do Castanhal de Calabazas no Geoparque Villuercas-Ibores-Jara
Castanheiro de Postuero, o rei do Castanhal de Calabazas no Geoparque Villuercas-Ibores-Jara.

Um passeio entre castanheiros centenários e azereiros milenares

O castanheiro Postuero é o mais notável, mas ao longo desta rota que começa em Castañar de Ibor há até 17 castanheiros monumentais declarados Árvores Singulares da Estremadura. Os gigantes do Geoparque Villuercas-Ibores-Jara, diz o seu site oficial.

Só isto torna a rota especial, onde também se podem ver árvores que são relíquias do período terciário. Parecem folhas de louro, são chamadas azereiros ou louro-português. Prunus lusitanica é, de facto, o nome científico e são umas das poucas que restam na Península Ibérica.

Rumo a Chorrera de Calabazas, um geossítio no Geoparque de Cáceres

Toda esta caminhada sobre o que há milhões de anos era um fundo marinho até chegar à Garganta de Calabazas, um dos 50 geossítios ou pontos de interesse geológico no geoparque de Cáceres. É um miradouro privilegiado do relevo apalachiano característico, relacionado com às Montanhas Apalaches nos Estados Unidos.

Pelo caminho, de ambos os lados podem ver-se afloramentos rochosos, verdadeiros rios de pedras que os habitantes locais vieram a chamar abóboras devido ao seu grande tamanho, daí o nome Castañar de Calabazas (castanhal de abóboras).  Na verdade, são uma janela para o passado devido aos icnofósseis que provam que há 600 milhões de anos estava submerso na água.

Chorrera de Calabazas, um dos 50 geossítios do Geoparque Cáceres.

 Paraíso do geoturismo

 É um paraíso para os amantes do geoturismo, mas também um deleite para aqueles que só querem caminhar por uma aldeia onde as caminhadas são revitalizantes, bem como a gruta de Castañar, um Monumento Natural para o qual existe uma lista de visitas, ou a alternativa perfeita se quiser viajar para o centro da Terra, que é o Centro de Interpretação.

Diputación de Cáceres

A partir de Castañar de Ibor

A rota de Castañar e Chorrera de Calabazas começa do outro lado da aldeia, na direção de Guadalupe, na EX118. Pode deixar o seu carro no parque de estacionamento da pousada Solaire, que é mesmo em frente, ou levá-lo ao longo do caminho de terra batida para uma esplanada que, virando à direita, vai até ao Camorro, um miradouro natural a uma altitude de mais de 1.100 metros. Isto poupa os primeiros 2,5 quilómetros de subida constante, que, no entanto, podem ser percorridos sem grandes dificuldades, mesmo com crianças. Na verdade, é uma rota ideal para toda a família.

Não são mais de 10 quilómetros no total, e se continuar em frente, o caminho abre-se para atravessar uma bela floresta de carvalhos esbeltos, especialmente na primavera. A seguir, há uma sucessão de castanheiros centenários, o castanheiro Postuero com um painel próprio devido ao seu tamanho e raízes como os pés de um gigante. Não tanto como outros espécimes, alguns dos quais até parecem fantasmagóricos.

Pedreras na rota de Castañar de Calabazas no Geoparque de Cáceres.
Pedreras na rota de Castañar de Calabazas no Geoparque de Cáceres.

O caminho fica mais estreito, começa a ouvir-se o riacho e, se prestarmos atenção, podemos ver os azereiros e os fetos, que são o prelúdio de uma zona de desfiladeiros. Tenha cuidado porque há pedras soltas e escorregadias devido à humidade, começa a descer para ver o Chorrera à sua frente, com mais ou menos água, dependendo da época do ano. Só a parede vertical, tingida de verde pelas algas, chama a atenção.

É uma rota linear, por isso, refazer os seus passos permite-lhe aproveitá-la novamente com outra luz do dia que se esgueira através das árvores. Um deleite em qualquer altura do ano.

El Castaño del Postuero reina en el geoparque cacereño

Autor original: Merche R. Rey

Traduzido por Ȃngelo Merayo

PlanVE la guía de ocio de Extremadura / Das maravilhas que oferece a Extremadura

Publicado em Novembro de 2021

© Planveando Comunicaciones SL

 

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

También te puede interesar

Planos para uma escapadinha perfeita em Almaraz, o paraíso das orquídeas

As orquídeas são o património natural mais importante de Almaraz. Tanto que…

O mosteiro de Yuste, retiro de Carlos V

Quando o imperador Carlos V decidiu passar os últimos anos da sua…

O legado do imperador D. Carlos V na Estremadura

A pegada de D. Carlos V na Estremadura, onde residiu desde fevereiro…

Um passeio entre os castelos da Estremadura

Descubra os castelos da Estremadura, entre azinheiras na devesa ou em núcleos urbanos.…