Search

Comer na Estremadura, um prazer que alimenta

A Estremadura estende-se sobre 41634 km2 onde vivem pouco mais de um milhão de pessoas, tem, além disso, um milhão de hectares de devesas, florestas de azinheiras e sobreiros que conformam um ecossistema único rodeado de montanhas, vales e rios. É por isso que na região é produzida uma enorme quantidade de alimentos e a sua gastronomia inclui os fantásticos presuntos ibéricos, o tempero mais universal desta terra, o pimentão de La Vera, ou a picota, a melhor cereja do mundo, que é cultivada no Vale do Jerte e queijos deliciosos de leite cru de cabra ou de ovelha.

O gado estremenho pasta à sombra das azinheiras

Alimentados com bolotas do campo, os porcos engordam sob as azinheiras e os presuntos ibéricos de bolota curam durante 3 o 4 anos nas serras estremenhas. Nos campos pastam os borregos e o gado bovino e caprino que transformados em delícias culinárias nos fogões das casas ou de reconhecidos chefes. Ainda, são muito apreciados os queijos de Los Ibores, La Serena, e a Torta del Casar, os dois últimos coalhados com cardos silvestres.

Mel, azeite e vinho

Os milhões de flores das montanhas permitem às abelhas produzir mel com características próprias e muito apreciados nas Villuercas-Ibores, mas também é popular o das Hurdes, com este mel são elaborados rebuçados e bebidas.

Do território estremenho mais de 260.000 hectares estão cobertos de olivais, na sua maioria produzem o fruto destinado aos lagares onde se obtém o azeite virgem extra que oferece propriedades benéficas para a saúde. Os vinhos são generosos e abundantes e os espumantes delicados e frescos.

A gastronomia estremenha está além dos galardões e é muito rica e variada em cada comunidade. Nestas terras crescem citrinos que são destinados a saladas, como nas Hurdes ou em Gata. O tomilho silvestre nasce nas montanhas e tempera saborosos ensopados. Os figos, as amendoeiras, os pomares que desabrocham a sua cor na primavera e que enchem de aromas os cestos durante as colheitas. Peixes de rio, como a tenca, que tem a sua própria festa em Piedras Albas e no outono as castanhas passam a raia num encontro transfronteiriço.

Desfrutar da ampla e variada gastronomia bem merece um percurso por montanhas, devesas e vales estremenhos, é por algum motivo que é merecedora de nove denominações de origem e duas Indicações geográficas protegidas.

Comer en Extremadura, un placer que alimenta

Extremadura dining, a pleasure that nourishes

“食”在艾克司崔瑞马度拉(Extremadura) 不仅悦心 而且养身

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

También te puede interesar

Cáceres, a dois passos de si

Cáceres, a dois passos de si é um convite para descobrir e…

Se for a Monfragüe, não perca Serradilla

Ir a Monfragüe e não visitar Serradilla é perder a oportunidade de…

Quatro cidades imprescindíveis na Estremadura

Badajoz, Cáceres, Mérida e Plasencia são quatro cidades imprescindíveis na Estremadura.Cultura, história…

Uma escapada perfeita para Zarza de Granadilla, um destino repleto de estrelas

Uma escapada perfeita para Zarza de Granadilla significa saber que está no…