Search

Pedroso de Acim, a aldeia com o convento mais pequeno do mundo

A serenidade reina em Pedroso de Acim, não só no Convento de Palancar, ao qual chegam visitantes dos lugares mais remotos, mas também na própria vila, uma aldeia de cem habitantes, a meio caminho entre Plasencia e Cáceres. É o lugar escolhido por São Pedro de Alcântara para fundar o Convento de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, conhecido como “el conventino” por ser o convento mais pequeno do mundo.

Capela do Conventino, decorada por Magdalena Leroux e com a figura de São Pedro de Alcântara de Enrique Pérez Comendador. Frei António como anfitrião.

Pedroso de Acim, ao pé do convento

As terras de Pedroso de Acim são, desde tempos imemoriais, casa e lugar de passagem e, desde o século XIV, são conhecidas porque aqui se fixaram carvoeiros que trabalhavam na serra. A poucos quilómetros da aldeia, foram encontrados dólmenes e, nas proximidades, vasos antigos e vestígios de uma calçada. No entanto, o seu crescimento está ligado ao Convento de Palancar, fundado em 1557 por Juan de Garavito y Vilela de Sanabria, nome do homem que viria a ser São Pedro de Alcântara.

Igreja de Santa Marina, do século XVI, em Pedroso de Acim.

A população de Pedroso de Acim multiplica-se no verão, mas no resto do ano, nas suas ruas tranquilas,  algum gato passeia furtivamente, deitado ao sol à porta de uma casa. Casas antigas, com varandas de pedra e velhas aldravas nas portas de madeira. Entre elas, destaca-se a Igreja de Santa Marina, do século XVI. No seu interior há um retábulo de madeira, surpreendentemente grande, com a figura da santa e numa capela duas pinturas da escola de Luis de Morales. Na entrada da igreja há uma moderna figura de bronze de São Pedro de Alcântara que está alinhada com a majestosa Torre do Relógio na mesma praça. No cimo da torre, da igreja e do edifício da câmara municipal, aninharam vários casais de cegonhas que enchem o local com o seu grasnido.

Antigos lavadouros, em Pedroso de Acim
Paseo La Fontanita e as “zonas adotadas” de Pedroso de Acim

Atrás da igreja encontram-se os antigos lavadouros, que recebem a água da fonte da praça através de tubos subterrâneos. Consistem em duas enormes pias, uma para recolher a água, que é distribuída através de tubos estreitos para duas linhas de pias individuais colocadas em frente umas das outras, e outra grande pia para enxaguar. O local tem um encanto especial, com a paisagem rural ao fundo e a água parada que outrora testemunhou vozes e canções.

Muito perto dos lavadouros, ao longo de um caminho entre muros verdes, chega-se a La Fontanita, um pequeno riacho que marca o início de um passeio pela aldeia através de “áreas adotadas”. Trata-se de espaços naturais onde os habitantes da aldeia plantaram uma variedade de plantas ornamentais. Do caminho, avista-se a grandiosa abside de Santa Marina.

Pedroso de Acim e a Igreja de Santa Marina a partir do passeio marítimo de La Fontanita

Passeios a pé nos arredores de Pedroso de Acim

Os arredores de Pedroso de Acim são ideais para a prática de caminhadas, especialmente o percurso até ao moinho do Tío Fabián ou os percursos pela Serra de Pedroso. Na montanha há sobreiros, azinheiras, estevas, mas também pinheiros, a Penha de Cenizos parece vigiar a montanha e a fonte de Cucharros, local de abeberamento do gado, decora o monte. Também se pode subir à ermida de Santa Bárbara, reconstruída há alguns anos pelos habitantes da aldeia e onde se pode ver de novo a imagem da santa, que teve de ser guardada na igreja da aldeia durante os anos em que a ermida esteve em ruínas. Na zona envolvente, os muros de pedra marcam os caminhos e enormes árvores crescem no verde intenso do campo.

Imagem de San Pedro de Alcántara e da Torre do Relógio, na Plaza Mayor de Pedroso de Acim

Casas rurais no meio da aldeia, casas na árvore e um restaurante com estrela Michelin

Pedroso de Acim dispõe de piscinas municipais durante o verão e durante todo o ano, com serviço de bar, onde Ángel Mari serve um café enquanto fala sobre a beleza do lugar. A aldeia tem também um alojamento rural no centro, El Caminante, com a sua própria “Casina Museo” e outro a caminho do convento, Los Canchales, uma cabana de luxo nas alturas com churrasqueira, piscina e belas vistas.

Vistas do restaurante El Palancar

Além disso, para alimentar o olhar, pelas suas maravilhosas vistas do Alagón e da Serra de Gata, encontra-se o restaurante El Palancar, recomendado pelo Guia Michelin pela sua rica cozinha estremenha, que se caracteriza pelas suas carnes grelhadas e pelas suas entradas cuidadosamente preparadas. Os seus saquinhos morcela de batata, sultanas e alperce seco são um aperitivo inesquecível e os seus anfitriões acolhem-nos como em casa, Getulio às mesas e a chefe Pilar a trabalhar arduamente na cozinha. No verão, este restaurante serve frequentemente menus de degustação no seu terraço com vista para as estrelas.

Claustro do convento do século XVIII que rodeia o convento.

O Convento de Palancar

O Convento de Palancar fica a apenas dois quilómetros da aldeia. São Pedro de Alcântara viveu ali acompanhado por 7 ou 8 frades num espaço de 72 m2, que é um exemplo de austeridade. Chama a atenção a pequena cela onde São Pedro dormia, sentado e reclinado sobre um pedaço de madeira. O claustro minimalista, os tectos em enxaimel, a pequena cozinha onde um lavatório de pedra desagua na horta.

Igreja do Convento de Palancar, do século XVIII.

O refeitório, também mínimo, é constituído por dois bancos contínuos de pedra e um pequeno armário ao fundo. A beleza da capela é impressionante. Ampliada brevemente depois da santificação do fundador, destaca-se no centro a sua figura de madeira, obra do artista estremenho Pérez Comendador, que é a mesma que se encontra nas portas da Co-catedral de Cáceres. A decoração da capela, da autoria de Magdalena Leroux, é de uma beleza delicada, um mosaico de azulejos em que surgem pássaros, pedras, flores, anjos e a figura de São Pedro a abraçar São Francisco de Borja, que o visitou no convento. Repleta de simbolismo, a sala reflete a cor azul, representando a Imaculada Conceição, que dá nome ao local.

Cozinha do convento

O pequeno convento do século XVI está rodeado por um convento maior do século XVIII, onde vivem atualmente os frades que nos acompanham. Possui um claustro abobadado e uma grande igreja, onde se destacam o crucifixo sevilhano, a figura de São Pedro de Alcântara, originária de um convento de Brozas, e a figura de Santo António, que segura o Menino Deus com um gesto amável.

Passear pela horta e pelos jardins do convento é uma experiência relaxante. As montanhas erguem-se ao longe, vê-se a barragem de Torrejoncillo e as aldeias do Alagón estendem-se no horizonte. Uma placa indica que se trata de um “lugar de silêncio e oração”, um lugar com a serenidade que reina em Pedroso de Acim e que é tão reconfortante.

A imagem acima mostra o claustro do “convento mais pequeno do mundo”

Pedroso de Acim, el pueblo del convento más pequeño del mundo

Publicado em janeiro 2024

Tradução Ângelo Merayo

© Planveando Comunicaciones SL

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

También te puede interesar

La garganta de Alardos limitará el aforo este verano

La garganta de Alardos en La Vera abrirá este verano la temporada…

Paseo por Valdefuentes,capital extremeña del esgrafiado

Valdefuentes, en la provincia de Cáceres, cuenta con poco más de 1200…

Obra de teatro sobre la situación de Venezuela en Casar de Cáceres

Ensamble Producción presenta en Casar de Cáceres una obra de teatro inspirada…

Cine español en los 25 años del Festival Solidario de Cáceres

El cine español inunda Cáceres con el inicio de la Sección Oficial…