Search

Descubra Cachorrilla, porta de entrada dos Canchos de Ramiro

Cachorrilla é a porta de entrada para o parque natural de Canchos de Ramiro, na região do Vale de Alagón, na Estremadura. As aves constituem uma importante riqueza ornitológica e observam o caminhante a partir das alturas.

Podemos sentir-nos observados por cegonhas-pretas, abutres-pretos ou milhafres-reais. As escarpas dos enormes desfiladeiros quartzíticos são o habitat pacífico da águia-imperial e da águia-calçada que convivem em perfeita harmonia com picanços, gralhas-de-bico-vermelho, chascos-pretos, poupas e abelharucos.

Quando visitamos um espaço natural devemos ter sempre em conta que devemos respeitar as espécies que o habitam. Se os abutres do Salto del Gitano estão habituados às multidões, à azáfama dos visitantes e a viver acima de uma estrada, o mesmo não acontece com as espécies que nidificam nos Canchos de Ramiro.

Trata-se de uma zona intocada e não urbanizada. Este facto é bem conhecido das aves que aqui construíram os seus ninhos, por isso, devemos evitar incomodá-las com qualquer ruído. Não só para não as perturbar, mas também para as ouvir, o chilrear de milhares de pequenas aves que vivem na zona, bem como os grilos, as rãs ou simplesmente o som dos peixes a saltarem na água fazem parte do espetáculo.

O corredor natural foi declarado Zona Especial de Proteção das Aves (ZEPA) e o caminhante que chegar aqui, irá aproveitar muito mais a experiência se trouxer binóculos.

Dois rios num só: o Árrago e o Alagón

A portela natural encaixada entre penhascos funde os rios Alagón e Árrago num só. O miradouro de Boquerón é o lugar onde o Árrago desaparece para aumentar o caudal do Alagón, dois em um. Neste ambiente agrupam-se até quatro ecossistemas: o montado, a paisagem fluvial, a floresta mediterrânica e as fragas quartzíticas.

Para apreciar este lugar mágico com calma, é aconselhável fazer o percurso pedestre que liga Cachorrilla à portela dos Canchos de Ramiro (9,5 quilómetros ida e volta).

Um passeio maravilhoso que começa na Aula da Natureza, à entrada da vila. Este centro é o cartão de visita para nos perdermos na ZPE e sabermos de antemão o que vamos encontrar na natureza. Um guia para descobrir a biodiversidade floral e faunística e não perder um único pormenor.

Canchos de Ramiro, Cahorrilla

O percurso para Los Canchos começa à saída do município e é necessário atravessar as suas ruas e praça. No regresso, podemos perder-nos em todos os encantos desta pequena vila do Vale de Alagón. Onde a população de aves supera em muito a população humana e é a música ambiente urbana, especialmente na primavera.

Passamos a ermida do Cristo das Dores e a lagoa para entrar no prado de Tres Carrascos. Um passeio agradável que na primavera é uma experiência orgânica: estevas, urzes e medronheiros acompanham-nos a cada passo.

O caminho de terra batida que nos leva ao miradouro transforma-se gradualmente. Deixando para trás o montado e a clara intervenção humana, encontramo-nos num terreno mais virgem e numa floresta mediterrânica perfeitamente preservada.

O miradouro de Boquerón para sentir a natureza

Os íngremes desfiladeiros do miradouro de Boquerón fazem-nos parar e sentir a natureza. O stress, a pressa e a vida moderna não têm lugar neste recanto da província de Cáceres.

Os Canchos de Ramiro são uma continuação do Parque Nacional de Monfragüe. Atravessam a serra de Arco, a serra de Caballos, a serra de Garrapata, a serra de Solana e Ladronera para chegar a Portugal.

De regresso a Cachorrilla, é o momento ideal para nos perdermos nas suas ruas estreitas e descobrirmos tudo o que tem para oferecer ao visitante.

Um lago com patos apadrinhados

O lago ao pé da ermida é o habitat natural de várias famílias de patos apadrinhadas pelos vizinhos.

Embora seja uma das vilas mais pequenas da Estremadura, as suas ruas são vivas e animadas. A cada passo encontramos vasos de flores colocados pela câmara municipal que alegram o visitante.

Uma das propostas mais sugestivas é passear pelos murais dedicados às mulheres e aos seus ofícios tradicionais: costureira, ceifeira, aguadeira, taberneira ou dançarina. Um grande mural dedicado à sorodidade merece uma selfie original.

Uma pequena loja graças à deputação

Durante a visita a Cachorrilla não vai faltar nada, porque temos um café, três casas rurais e uma mercearia para reabastecer provisões. Esta pequena loja, criada graças ao financiamento da Deputação de Cáceres, permitiu que os habitantes de Cachorrilla pudessem voltar a fazer as suas compras na sua vila, 25 anos depois do encerramento da última loja.

A Ppimavera é vivida como uma explosão de vida e de cor neste recanto do Vale do Alagón. É também o ponto de encontro de todos os festivaleiros que aproveitam o Festivalino. Os alojamentos rurais penduram o cartaz “Cheio” e os seus inquilinos fazem um agradável passeio até à vizinha Pescueza para se divertirem no festival mais pequeno do mundo.

Descubre Cachorrilla, puerta de entrada a los Canchos de Ramiro

Tradução Ângelo Merayo

Fotografias: Andy Solé

Publicado em abril de 2023

©Planveando Comunicaciones S

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

También te puede interesar

Vivir peor que nuestros padres

Tendría que comenzar, como en los chistes, con eso de que tengo…

Firma los coches del rally solidario Cáceres-Sáhara

Si quieres estampar tu firma en los coches del rally solidario Cáceres-Sáhara,…

El poblado ferroviario de Monfragüe en vías de recuperación

El poblado ferroviario de Monfragüe va camino de su recuperación. Adif ha…

La Plaza Mayor de Plasencia, todo un museo al aire libre

Hasta 15 lonas de gran tamaño de temática costumbrista lucirán en la…