Uma escapadinha perfeita em Valência de Alcântara, um destino fronteiriço na província de Cáceres

Uma escapadinha perfeita em Valência de Alcântara deve incluir o Parque Natural e Reserva da Biosfera Transfronteriça Tejo – Tajo Internacional, à qual pertence a Serra de San Pedro, e atravessar a Raia, que é a fronteira que o rio Tejo traça entre a província de Cáceres e Portugal, para descobrir todos os seus encantos.

Valência de Alcântara, Alcántara, Brozas, Cedillo, Carbajo, Herrera de Alcántara, Herreruela, Mata de Alcántara, Membrío, Piedras Albas, Salorino, Santiago de Alcántara, Villa del Rey e Zarza la Mayor pertencem à Reserva da Biosfera. De Portugal, 12 freguesias.

Valência de Alcântara é uma boa base a partir da qual se pode explorar o território e dedicar alguns dias da sua agenda de viagens.

O maior bairro judeu de Cáceres

Valência de Alcântara tem o maior bairro judeu da província de Cáceres, no Bairro Gótico, que é um Conjunto Histórico-Arístico. É composto por 19 lindas ruelas com portas e janelas com lintéis ogivais, como se pode ver na foto acima. Testemunham o passado hebraico e coexistem com casas palacianas cujas fachadas ostentam os brasões de armas da linhagem familiar. O videoclipe de Soraya Yo brindo foi ambientado no Bairro Gótico.

Na Sinagoga de Valência de Alcântara, as chaves são simbolicamente penduradas, à espera dos judeus expulsos.

O bairro judeu tem a sua sinagoga na rua La Gasca, onde as chaves penduradas simbolicamente aguardam o regresso dos judeus que tiveram de deixar tudo para trás, incluindo as suas casas, após a ordem de expulsão emitida pelos Reis Católicos. Tem curiosidades como um painel de fragrâncias de Sefarade ou um interativo onde se pode ouvir ladino ou judeu-espanhol, a língua falada pelos judeus quando foram expulsos em 1492 e que ainda está viva nas comunidades judaicas de todo o mundo. Para visitar a sinagoga é necessário ir ao Centro de Interpretação, que fica apenas a alguns passos na rua Marqués de la Conquista, para os informar para que a possam abrir.

A Boda Régia

Um passeio pelo Bairro Gótico pode começar na igreja de Nossa Senhora de Rocamador, junto da qual há uma placa indicando que é aqui que nos encontramos. Neste edifício, que é um Monumento Histórico-Artístico, é encenada, no primeiro fim de semana de agosto, a Boda Régia, que uniu Isabel de Castela e Manuel de Portugal, O Afortunado, em 1497. Este evento tornou-se uma Festividade de Interesse Turístico na Estremadura, que começa no final de Julho com atividades de encenação histórica que recuperam a atmosfera do século XV.

Junto à Igreja de Rocamador, o castelo de Valência de Alcântara permite-lhe alargar a sua vista sobre a região.

Um encantador Museu Etnográfico

A Boda Régia é uma das festas de Valência de Alcântara, mas há mais. Na primavera há uma peregrinação a San Isidro Labrador, declarada Festival de Interesse Turístico na Estremadura, bem como as Cruces de Mayo com os seus altares de flores nas ruas e Los Mayos. Esta última é uma tradição divertida que consiste em fazer bonecos de pano e organizá-los em cenas da vida quotidiana espalhadas por diferentes cantos, com cartazes sarcásticos de crítica social e política.

O Museu Etnográfico de Valência de Alcântara tem o maior cuidado em montar cenas como esta oficina de costura.

Em qualquer altura do ano, Los Mayos podem ser vistos no Museu Etnográfico, que é encantador pelo cuidado e detalhe com que os quartos foram recriados, de uma oficina de costura a uma sala escolar, uma alcova, uma cozinha ou uma tipografia.

Rotas através dos dólmenes e mais

Os adeptos da arqueologia vão divertir-se imenso porque a área em redor de Valência de Alcântara alberga 41 dos 148 dólmenes da Reserva Internacional do Tejo. O complexo megalítico da cidade é considerado um dos mais importantes e melhor conservados da Europa e pode ser descoberto em rotas bem marcadas. Algumas delas começam mesmo a partir da própria cidade, como as que partem do Parque de Espanha em frente à Praça de Touros e estão mesmo sinalizadas nos postes de iluminação.

Valência de Alcântara e arredores é um paraíso para os caminhantes e amantes do turismo ativo.

Há rotas de dólmenes que levam ao Monumento Natural Berrocal de La Data, um local ideal para astroturismo e astrofotografia. Isto é à noite, porque esta paisagem de rochas graníticas, que faz lembrar Los Barruecos, outro dos monumentos naturais da Estremadura, é um bom local para os adeptos da ornitologia apreciarem a observação de aves.

Uma forma fácil de começar a observar dólmenes é visitar El Mellizo, em Aceña de la Borrega, a 10 quilómetros de Valência de Alcântara, porque é fácil de alcançar, está em muito bom estado de conservação e o pano de fundo é precisamente o Berrocal de La Data.

O dólmen El Mellizo, a 10 quilómetros de Valência de Alcântara, é um dos dólmenes mais bem conservados do mundo.

Um paraíso para o turismo ativo

Uma escapadinha perfeita em Valência de Alcântara pode ser completada com outras rotas de caminhadas, tais como as do contrabando tão típicas das zonas fronteiriças. E com o turismo ativo, porque há muitas propostas em toda a Reserva da Biosfera Internacional do Tejo. Há de tudo, de passeios a cavalo a passeios de jipe, motas e bicicletas, ou desportos aquáticos na barragem de Alcântara. Ou mergulhar na encantadora pedreira de Alcântara e nos cruzeiros fluviais do cais de Cedillo para as terras de Portugal.

Se quiser coroar a sua escapada com estilo, pode ir até à rocha quartzítica de Puerto Roque, que é uma fronteira natural na Raia e um luxo para a escalada.

Há muitas empresas que oferecem todos estes tipos de atividades na Reserva. A melhor coisa a fazer é deixar que a experiência deles o guie e preocupar-se apenas com a diversão.

Para Portugal a partir de Valência de Alcântara

O português é falado fluentemente em Valência de Alcântara. Não podia ser de outra forma, porque a relação com os vizinhos portugueses é diária. Há festivais como o Boda Régia, que se realiza juntamente com Marvão, bem como o Festival de Cinema Transfronteiriço Periferias, o primeiro fim de semana de agosto, com exibições em espaços abertos em Marvão, Castelo de Vide e Valência de Alcântara, entre outros.

Duas visitas altamente recomendadas dentro do destino Tejo Internacional são Castelo de Vide e Marvão, com castelos e recantos encantadores a partir dos quais se pode alargar a vista e absorver o encanto português tão presente em Valência de Alcântara, onde é comum ouvir a língua irmã. A distância até Castelo de Vide é de 31,5 quilómetros e até Marvão 28,7.

Cozinha de caça e doces

Não há nada como uma boa homenagem gastronómica para coroar uma escapada perfeita a Valência de Alcântara, onde pratos de caça e pratos tradicionais como buche de porco, mondonga, chanfaina ou frite de borrego são excelentes.

Os bacalaitos de Valência de Alcântara não tem nada a invejar aos de Madrid.

Existem curiosidades gastronómicas como os bacalaitos de El Rincón de Calleja em Paseo de San Francisco, que são um petisco tradicional e nada têm a invejar aos populares de Madrid. E descobertas fantásticas como o forno a lenha com mais de 100 anos onde se cozem os pães e doces do Panpi, a padaria de Antonio Antonio e María Milagrosa Laínsa, onde as pessoas esperam pacientemente pela sua vez com o aroma de bolos de Páscoa, bolos de amêndoa, bolachas quadradas e queques.

A padaria Panpi em Valência de Alcântara trabalha com um forno centenário

Una escapada redonda a Valencia de Alcántara, destino de frontera en la provincia de Cáceres

Publicado em julho 2022

Fotografias Andy Solé

Tradução Ângelo Merayo

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

También te puede interesar

Caminho de Santiago pelas rotas da província de Cáceres

Nem todos os caminhos levam a Santiago. No entanto, na província de…

El fascinante corto de Extremadura desde las estrellas

De película. El nuevo corto de Extremadura, una historia contada desde las…

No verão deixe-se surpreender porque a Extremadura é água

A Extremadura é água, mais de 1.500 quilómetros de costa interior e…

A cerejeira em flor no Vale do Jerte, único em Espanha

Dizer Vale do Jerte é dizer cerejeira em flor, um espetáculo que…