A Boda Régia inaugura um destino histórico na Raia

Foi, como o nome sugere, um casamento real. O rei D. Manuel I casou com D. Isabel de Castela e Aragão, a filha primogénita dos Reis Católicos, em Valencia de Alcántara. Era 1497 e esta união abriu a possibilidade da unificação dos reinos. Especialmente pouco tempo depois, quando Isabel se tornou Princesa das Astúrias. Esse acontecimento marcou a história desta cidade na região da Raia, em Cáceres.

Mais de 500 anos mais tarde, a Boda Régia é um festival transfronteiriço considerado Festa de Interesse Turístico da Estremadura. Todos os primeiros fins de semana de agosto, a Boda Régia revive a cerimónia com atividades culturais e recreativas juntamente com os vizinhos portugueses de Marvão.

O caminho de D. Manuel I ao encontro de D. Isabel

O rei D. Manuel I viajou pelo Alentejo português, passando por Castelo de Vide e Marvão. Atravessou depois a fronteira para Valencia de Alcántara e casou com D. Isabel.

Castelo de Vide é uma vila cheia de detalhes, foi lar de muitas famílias judias e ainda preserva esse passado. As suas ruas íngremes são coroadas por um castelo e tem um Centro de Interpretação do Megalitismo, dada a importante presença de dólmens em ambos os lados da Raia. A cerca de 20 quilómetros de lá, e mais perto de Espanha, fica Marvão, uma das mais belas vilas de Portugal. Está no cume da Serra de São Mamede, com o seu castelo, os seus recantos de sonho e as suas casas brancas. As suas paredes parecem segurar a vila num forte abraço.

Valencia de Alcántara

Isabel assiste ao seu casamento em Valencia de Alcántara

Isabel chegou a Valencia de Alcántara, já tinha ficado viúva do infante Afonso de Portugal e tinha 26 anos de idade quando celebrou a sua boda régia. A família real acompanhou-a a um evento tão importante.

Valencia de Alcántara é um dos municípios de Cáceres que compõem o Parque Natural do Tejo Internacional e a Reserva da Biosfera Transfronteiriça. É um local com uma enorme riqueza natural e cultural. O rio Tejo é o seu eixo central, pelo que as suas águas e as dos seus afluentes são combinadas com infinitas áreas de florestas mediterrânicas, declives íngremes, escarpas e prados. As suas paisagens são uma grande atração turística. Existem atividades para todos os gostos e idades, tais como ciclismo turístico e btt, bem como percursos fluviais e a cavalo. Há também observação de aves, caça, pesca e astroturismo.

Na área envolvente de Valencia de Alcántara, foram identificados até 41 dólmens, tornando esta área num local de interesse megalítico. Há avistamentos frequentes de aves, lontras, veados e javalis. Apreciar a brama no início do outono ou o céu estrelado durante todo o ano é também outro incentivo para visitar. É uma zona ideal para percursos pedestres, especialmente nos meses de primavera e outono, com uma mochila cheia dos deliciosos produtos gastronómicos da zona e dos queijos de Cáceres.

Castelo de Vide, em Portugal

A Boda Régia, uma Festa de Interesse Turístico Regional na Raia

Todos os anos, desde 2005, no primeiro fim de semana de agosto, Valencia de Alcántara celebra a Boda Régia em grande estilo. A participação dos residentes locais é essencial neste evento, que é considerado uma Festa de Interesse Turístico na Estremadura e é um festival transfronteiriço porque inclui atividades na vizinha Marvão e também em Castelo de Vide. Música, cinema e vários festejos rodeiam a encenação do casamento no templo de Rocamador. Uma Rota da Tapa Isabelina leva os visitantes de um local para outro para descobrir os deliciosos petiscos e doces locais cheios de tradição.

Igreja de Rocamador, Valencia de Alcántara

Valencia de Alcántara é um lugar para percorrer. As ruas do seu Bairro Gótico e Judeu guardam muitas histórias nas suas portas e janelas de lintel. Na sinagoga, que ainda se mantém de pé, é possível perceber a grande população judaica que ali vivia. As pedras da calçada da Plaza Mayor falam do seu passado português. A relação com Portugal é muito estreita, e não é raro encontrar vizinhos que possam comunicar em espanhol e português com facilidade no dia-a-dia. A proximidade tem favorecido muitas uniões transfronteiriças.

A Boda Régia em 2020 e 2021 foi celebrada sem a pompa de outros anos, mas ainda mantém a singularidade de um grande evento numa pequena cidade. Haverá muitas outras bodas régias em Valencia de Alcántara e muitos novos agostos que nos levarão de volta a essa importante quinta-feira 30 de setembro de 1497.

Lembre-se, em Cáceres, living la vida relax.

Berrocal de la Data, Monumento Natural da Extremadura. Foto: Juan Carlos Jiménez

Diputación de Cáceres

 

La Boda Regia descubre un destino turístico en La Raya

Autor original: Marian Castillo

Traduzido por Ȃngelo Merayo

PlanVE la guía de ocio de Extremadura / Das maravilhas que oferece a Extremadura

Publicado em agosto de 2021

© Planveando Comunicaciones SL

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.